sexta-feira, 11 de maio de 2012

EM DEVANEIO

Corro durante o dia na direção do sol
para receber os abraços da tua imaginação.
Quando chego a lugar nenhum
já é noite e encontro a lua,
nua, solitária, deitada na imensidão do pensamento.
Esperando o calor carregado pelos sonhos
de todo o anseio do meu amor,
evolui na mente o encontro celeste e
acaricio com minhas mãos de nuvens
o teu corpo violão, sua pele em minha imaginação.
Os gemidos sussurrados das tuas cordas
chegam aos meus sentidos pelo calor da boca
que beija os meus devaneios,
atiçam-me o desejo, embalam a fantasia,
caminho para a construção dos meus versos,
carícias que embalam o teu amor que aqui se  concretiza.
São tuas as minhas mãos exploradoras,
e vem em vulcão o orgasmo,  plena satisfação.

Um comentário:

  1. Parabéns pelas belas imagens tão bem criadas através destes versos.

    ResponderExcluir